quinta-feira, 23 de julho de 2009

Quem é o Professor de Hoje?

Nesse novo milênio pensamos: Que tipo de escola temos? Quem é o professor de hoje? Não é novidade para ninguém que a escola está em cheque e que há um descompasso entre o ritmo da vida e o da escola. A cada dia que se passa, a escola está mais lenta e revela-se pesada e pouco receptiva a mudança e ao exercício do papel de interlocutora real. Coloca-se como agência de informações e controladora de saber e ao fazê-lo, perde espaço e poder para os meios de comunicação de massa. Enquanto "agência de informações", os meios de comunicação de massa são muitos mais rápidos e potentes, e ainda existe a "nova tecnologia" que introduz modificações no cotidiano das pessoas, seja no âmbito familiar, seja na vida social e na profissional. A esses desafios a escola e o professor respondem ora com desdém, ora com indiferença e quase sempre com o temor disfarçado em lamento e discursos de impotência e de derrota.
É preciso ir além do primeiro olhar, ler nas entre linhas e enxergar além do óbvio! Que a escola queira ler a realidade e buscar nela pistas para a construção de uma nova maneira de fazer educação, onde o professor possa entender a realidade do aluno convivendo e interagindo em um mundo que exige capacidade de negociação, deliberação e argumentação, para isso o professor precisa querer formar sujeitos autônomos, solidários, cidadãos e conscientes, todavia para isso nós professores precisamos abrir mão do lugar de “transmissor de conteúdo”, para ser parceiro dos principais disseminadores de informações: internet, e-mail, msn, orkut, twitter, mp3 (até o mp10), filmes, teatros, e a própria TV, e mais ainda se credenciar como lócus de formação de sujeitos transformadores capazes de acessar, usar e criticar informações, para a partir daí, produzir novos conhecimentos!
A escola e o professor de hoje têm o desafio de entender que as tecnologias devem perpassar os processos educacionais, já que o aluno de hoje é um “sujeito digital”, que já "nasce" em um mundo totalmente tecnológico, um mundo digital! E o professor, em que mundo está ensinando? Para que aluno? Usando que ferramentas? São essas perguntas que nos devemos fazer, para que possamos transformar, reinventar com novas estratégias e possibilidades, dar visibilidade a sala de aula, fazendo dessa, um espaço vivo, atual, privilegiado, espaço de construção do saber e construção de cidadania, de trocas afetivas, esse é o grande desafio do professor/educador, é o desafio de "disponibilizar" novas formas de conteúdos e para assim transformar os espaçoes e as pessoas!!!!!
Referência:
SILVA, Marco. De Anízio Teixeira: A Cibercultura: Desafios Para Formação de Professores, Ontem, Hoje e Amanhã. Disponível em: <http://www.senac.br/BTS/293/boltec293c.htm>. Acesso em: 20 jul 2009.

7 comentários:

  1. barbara_guimaraes55@hotmail.com26 de julho de 2009 18:43

    Olá colegas, mais uma vez parabéns pela renovação do blog.
    Segundo Marco Silva, Anísio antecipou uma inquietação e em tom profético chamou a atenção para algo que já está realmente acontecendo: “ a educação escolar perde centralidade para a mídia definida pela propaganda, pelo entretenimento, transportando ao mesmo tempo senso e contra-senso; a pedagogia da transmissão não tem mais lugar quando o que é sólido cada vez mais se desmancha na excessividade caótica das informações fragmentadas nos interesses mercadológicos”. Então, diante desta realidade não podemos mais cruzar os braços e esperar que aconteça um milagre, resta-nos arregaçar as mangas e enfrentar os desafios desta nova era que é fazer uma educação que atenda as necessidades atuais e reais dos nossos alunos.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Olá Barbara,
    A constatação é real, mas como será que nós professores estamos enfrentando essa "Era digital"? Será que estamos nos "informatizando"? Utilizando a informática como uma ferramenta transfomadora na sala de aula? Para a partir desses questionamentos nos vigiar para sabermos se somos "professores digitais"! Abraços.

    ResponderExcluir
  3. barbara_guimarães55@hotmail.com28 de julho de 2009 18:59

    Pois é colegas, acredito que talvez uma maioria esteja fora deste contexto, infelizmente.Mas quem está buscando acompanhar a evolução terá que se atualizar, se informar e aos poucos participar desta nova era. Não dá pra ficar fora dessa maravilha que é ter o mundo na ponta dos dedos. Já estou criando um blog para meus alunos, assim que estiver pronto aviso para que vocês contribuam tá? Ainda estou engatinhando, mas chego lá, vontade não me falta!! Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Barbara,
    É com essa vontade e esse otimismo que nós professores temos que entrar na sala de aula!!! Nós acreditamos em você e tenho certeza que seus alunos também. Mande o blog que iremos interagir sim!!! Sorte!!!

    ResponderExcluir
  5. Sim, é preciso vontade, otimismo e esperança crítica, aquela que nos faz crer que é possível e nos exige ações concretas para que o possível torne-se realidade. Nós estamos colocando os endereços de todos os blogs criados em disciplinas aqui na ARGUMENTO no nosso blog argumentoposgraduacao.blogspot.com para que possa haver mais interação e troca de experiências. Nas outras turmas muita gente fez o blog com os próprios alunos em suas escolas e vão estar postando estas experiências. Vale conferir e trocar.
    O que estamos vivenciando aqui com a experiência do blog é exatamente esta possibiliidade de mudança de concepção que ressignifica o papel da professora, dos estudantes e do espaço-tempo da sala de aula. Este ambiente diz que estes sujeitos e a sala de aula têm outros papéis agora e que este espaço está sendo vivenciado numa outra perspectiva.
    Um grande abraço.
    Josely.

    ResponderExcluir
  6. É verdade, todavia essa nova "vivência" nos chama a atenção para a relexão auto-crítica,e nós professores temos uma grande dificuldade em nos criticar e receber crítica. A crítica serve para que possamos re-ver nossos conceitos e práticas!

    ResponderExcluir
  7. Olá, professora Josely, visitamos os blogs indicados, entretanto senti um pouquinho falta de atualização, e com relação a formatação, é necessário re-ver algumas coisas, mas as ideias são ótimas!

    ResponderExcluir